Derek,

vou sumir outra vez, porque sim. Mas dessa vez eu vou demorar mais, talvez nem volte, não quero que isso pareça drama. Mas não estou bem, não estou contente com tudo isso. Preciso de um tempo pra mim, de um tempo longe disso, eu sei que vai passar e vou voltar ao normal, mas pra isso preciso ficar sem você. Não dá, sabe? Te ver todos os dias e apenas te chamar de “amigo”, eu sei, eu sei que errei com você e errei comigo. Que fui egoísta e que estou sendo mais egoísta ainda, mas não dá. Eu mal durmo de noite, não consigo parar de pensar em você e isso tudo me faz mal, me deixa louca. Você pode até estar odiando tudo isso e eu não vou conseguir te contar o verdadeiro motivo de estar indo embora, o máximo que você vai saber é que eu vou sentir sua falta, que vou me odiar todos os dias, que vou gritar e chorar muito pra poder te ver outra vez, mas eu vou lutar muito pra não voltar atrás e correr até você e te contar tudo. Não, eu não vou fazer isso. Também não vou mentir, a noite passada me ajudou a tomar essa decisão, me fez ver que não posso. Eu não posso me sentir assim, não de verdade, não posso me sentir presa a alguém, isso me assusta e me machuca, eu não quero mais isso, não quero mais te ver e nem falar com você (de certa forma isso dói muito, dizer que não quero mais te ver e muito menos falar com você, é como dizer que não que quero mais.) Só de pensar em ficar sem você me dá um aperto no coração e caramba, eu estou chorando, eu nunca chorei por alguém antes. Mas não vou te contar nada disso, vai ser egoísmo da minha parte, eu apenas vou embora até tudo isso passar, eu sei que vai demorar… Não vou voltar atrás. Só espero que quando voltar você ainda se lembre de mim. E me desculpe por ter deixado apenas esse bilhete idiota em sua geladeira, mas você sabe… Não sou nada criativa.

Querido Adam,

me desculpe por te deixar naquela cama sozinho, eu sei, eu sei que tudo foi perfeito noite passada, mas acabou. Você era ótimo na cama e era só isso, você não me acrescenta nada além disso, me perdoe. Só me lembro de você assim; sorrindo gentilmente e me puxando para o quarto de motel chinfrim, que você mal poderia pagar, enquanto me dizia “Isso poderia durar para sempre.” Me sentia feliz naquele instante, e então você passou sua mão firmemente pelas minhas coxas, desenhou meu corpo com suas mãos como se me conhecesse há anos, e fez a noite ser perfeita. Nada além disso, me perdoe mais uma vez. Ah e por favor não me procure, dessa vez é sério.

paerlyshell